Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

FLA VENCE VASCO POR 3 X 2 E CONQUISTA TROFÉU EM CACHOEIRA

January 19, 2016

FLA VENCE VASCO POR 3 X 2 EM PARTIDA QUE ATRAIU UM BOM PÚBLICO

         No sábado, às 16:h, aconteceu a tradicional partida de futebol entre Flamengo e Vasco. Entende-se por Flamengo e Vasco duas equipes que são formadas por atletas torcedores dos respectivos clubes, ou seja, forma-se a equipe dos flamenguistas e a equipe dos vascaínos. Diante da grande rivalidade entre ambos, a partida atrai um bom público ao Estádio do Flamengo e o vencedor conquista um troféu.

 A rivalidade termina ao final dos 90 minutos, quando o árbitro encerra a partida e as duas equipes se encontram para as comemorações ou para as “bebemorações”, como querem alguns. No entanto, nessa edição, há um fato lamentável: a violência.

         Por não concordar com a decisão do árbitro da partida que anulou um gol do Vasco, quando na opinião do atleta o autor do gol não estava em impedimento; esse atleta da equipe cruzmaltina, agrediu fisicamente o árbitro. Esse tipo de atitude, de fato, compromete o espetáculo e afasta os amantes do futebol dos campos. Torcedores sempre se manifestarão quando discordarem da decisão do juiz da partida. Jogadores também têm o direito de questionar o árbitro, desde que o faça civilizadamente.

          É evidente que no calor da partida, os jogadores tenham atitudes intempestivas, mas se deve manter o equilíbrio, pois o objetivo quando se reúnem duas ou mais equipes para se enfrentarem, é o Lazer, entretenimento, o gosto pela prática do esporte, a integração das pessoas, a confraternização. O direito de lutar em campo por resultados positivos é sagrado, mas não com essas armas, não dessa forma. A arma deve ser o drible, o passe, a garra, a determinação, o entusiasmo e a alegria. A paixão não deve se sobrepor à razão.

         O que se espera dos organizadores do evento é que para a próxima edição, esse tipo de atitude não aconteça. Se a cada erro da arbitragem um atleta correr para agredir o árbitro – que é passivo de erro, porque é humano – o campo de futebol se transforma num ringue. E o torcedor vai para assistir ao espetáculo de futebol que os artistas da bola se propõem apresentar.

         Não estou discutindo a legalidade ou ilegalidade do lance que invalidou o terceiro gol, estabelecendo o placar de 3 X 2, que deu a vitória e a conquista do Troféu ao Flamengo. Não estava lá, há quem diga que sim e há quem diga que não. Esse tipo de polêmica permeia o mundo do futebol desde os primórdios e, muitas partidas, muitos árbitros e atletas se tornaram lenda, por se envolverem em tais situações.

         Se a falha do juiz foi intencional ou não, só ele o saberá. Sou da opinião de que devem fazer parte da história aqueles que são leais, os verdadeiros desportistas, craques ou não. Esses devem ser lembrados. Os que optam pelo contrário, devem ser esquecidos.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags