Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

ATENÇÃO: NOVOS SEMÁFOROS ESTÃO SENDO INSTALADOS EM MURIAÉ

September 3, 2016

SEJA PRUDENTE, OLHA O SINAL, ATENÇÃO:

            Em setembro se comemora a Semana Nacional do Trânsito. Em Muriaé, lideranças se reúnem no Teatro Belmira Vilas Boas, no IV Fórum, para discutirem sobre mobilidade urbana. Nem é preciso dizer que o trânsito de Muriaé é caótico. Com o objetivo de melhorar o fluxo, seja de pedestre, seja de veículos, estão sendo instalados semáforos em diversos pontos da cidade. Isso obviamente exige mais atenção de todos, principalmente dos pedestres que, muito displicentemente atravessam a via pública, sem observar o sinal. Seja prudente. Olhe o sinal. Pare, olhe e atravesse em segurança.

Numa de suas canções, o compositor e intérprete Benito di Paula fala com muita propriedade e poesia da importância de se observar os sinais de trânsito: “Vi um caminhão tombado no meio da estrada e a coisa ficou parada. Vi olhares tristes, sombrios, estacionados ... Pra que tanto aviso: Não corra, não mate, não morra, se quando o mal acontece ninguém sabe dizer o porquê. A carga do caminhão tombada no meio da estrada era como lágrimas. A maquina quente, esfriando, morrendo abandonada. Tente ajudar quem precisa chegar, ligue a seta à esquerda, reduza. Esqueça essa pressa, ela pode dar em nada. Olha o sinal, atenção: tem crianças brincando, sorrindo. Seja prudente, humano, lembre-se de que tem alguém te esperando!”

            É mais ou menos isso o que diz o poeta Benito, na canção intitulada “Pare, olhe e viva”, que consta da minha coleção de 1.138 elepês e, que vez ou outra, seleciono e ponho para tocar no meu aparelho de som que ainda hoje, roda meus vinis. Por que estou a falar desta canção, de Benito di Paula e disco de vinil? A canção me remete a uma série de lembranças, é também um alerta para motoristas e pedestres imprudentes, é uma baita reflexão acerca do nosso dever de observar as leis do trânsito e o que isso pode trazer de conseqüências, com a sua inobservância, quando neglicenciamos.  

 FAIXA DE PEDESTRE NÃO É PASSARELA           

Estou a observar, aqui em Muriaé, onde o Dimutran, órgão responsável pelo trânsito está instalando novos sinais de trânsito em diversos pontos da cidade para atender a necessidade da população. Faz-se necessário realmente, que se amplie os semáforos para maior segurança de todos, motoristas e pedestres. Mas se faz necessário também, que todos respeitem esses sinais, que aprendam a conviver com eles, que entendam que as leis estabelecidas devem ser cumpridas. É comum, aqui em nossa cidade os pedestres desrespeitarem essa lei. Não sei se por falta de informação, se por desatenção, ou se por julgarem que em qualquer circunstancia lhes é assegurado o direito de atravessarem e que motorista nenhum vai importuná-lo. O fato é que invadem a faixa, a seu bel prazer, quando querem, como querem e a hora que querem – há ainda pessoas que desfilam, como se a faixa fosse uma passarela de moda, mesmo o sinal estando fechado para elas.

          É obvio que o motorista não vai atropelá-lo, pelo menos essa não deve ser nunca a intenção. Também não é preciso correr na faixa. Contudo, é bom lembrar que há um tempo cronometrado ali para ambos e, que as luzes com as cores distintas lhes dizem quando se deve aguardar e quando se deve atravessar. Enquanto aguardava para atravessar no sinal da Praça Coronel Pacheco de Medeiros, - a pracinha dos Correios - ouvi pessoas dizerem que, a instalação dos semáforos só fez piorar para os pedestres. Não posso concordar com tal argumento, já que entendo que os sinais existem para trazer benefícios a todos e não para prejudicar a esse ou aquele. Precisamos como já disse aprender a conviver com eles e é tão fácil, tão simples. Até parece que se trata de uma novidade, de algo desconhecido para tanta gente, quando na verdade, foi em 1868, que se instituíram lanternas verdes e vermelhas para organizar o fluxo de carruagens e pedestres, nas movimentadas esquinas de Londres. Veja a matéria a seguir:

Fernando M. Ribeiro

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags