Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

20 DE OUTUBRO: DIA DO POETA. O PORTAL BRINDA OS LEITORES COM O ÚLTIMO DRINK E TEMPESTADE DE AMOR

October 19, 2017

O ÚLTIMO DRINK

O último drink

Não me esqueci.

E faz tanto tempo

Que dele me servi,

Para ocultar uma verdade

Que não podia omitir.

Pois meus olhos revelaram

E o coração denunciara

Tudo o que eu poderia sentir.

No meu silêncio, sorri.

Queria muito falar e ouvir.

Mas só consegui olhar e partir.

Não me esqueci...

 A saudade se agiganta

E o drink ainda me queima a garganta.

Mas partir era preciso,

E eu fui!

Nem aceno, nem sorriso.

A liberdade da estrada

Vinha-me como um aviso

E me fascinava.

A necessidade de ir justificava.

Pensei: meu futuro ali estava,

Certamente me esperava.

Eu simplesmente o antecipava.

Você, antes tão distante,

Me fez acreditar naquele instante, que me amava.

Retorno agora, cheio de desejos,

À procura de seus beijos.

 

 Olho à minha volta

E não a vejo.

Sinto-me num mar de revoltas.

Pois o sentimento que eu afagava,

O amor que me alimentava,

Não o encontrei nas janelas, varandas e jardins.

Estarão os meus sonhos no fim?

- Sim!

Já não há os encontros nas calçadas.

Só madrugadas

Mal dormidas, desiludidas.

E você, sofrida,

Vazia de si, de mim e da vida.

Despida de amor, de segredos,

Num mundo de erros.

Me aproximei...

A abracei.

E senti o drink de hoje ainda mais amargo,

Quando ao acender o cigarro,

Ouvi de seus lábios:

- Ah! Como eu te amei!

Fernando Mauro Ribeiro

 

TEMPESTADE DE AMOR

Minhas tempestades de verão

só consigo encontrar em seus olhos –

 

é tanta tormenta –

é tanto ímpeto –

é tanta força –

é tanto de você.

 

Que aguça minha loucura

De querer banhar-me

Em suas gélidas gotas –

 

Não me importam

Relâmpagos e trovões –

Se a tempestade de seus olhos

Me molhar.

 

Espero que eternamente

O ímpeto a força... e você

Me levam junto!

Rodrigo Ribeiro Mançor

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags