Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

BELÍSSIMA CELEBRAÇÃO NA MATRIZ, DÁ INICIO AO TRÍDUO PASCAL

March 30, 2018

QUINTA-FEIRA SANTA: MISSA DE LAVA PÉS E A CEIA DO SENHOR

     Bendita seja esta noite santa em que o Senhor instituiu a Eucaristia, o Sacerdócio ministerial e nos deu o grande mandamento do amor: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”. O amor libertador do Pai que libertou o povo escravizado do Egito, chegou até nós, no meio de nossa história, por seu Filho Jesus Cristo. Ele é a Aliança Eterna do Pai. Aquele que é o Senhor de tudo, da história e do mundo, humildemente lavou os pés dos discípulos. Quanto ainda temos para aprender e para caminhar. Façamos o esforço do amor, do serviço, da humildade para celebrarmos com Ele a Páscoa!

    

 

Esta é a noite da ceia pascal, a ceia em que nosso Cordeiro se imolou. Esta é a noite da ceia do amor, a ceia em que Jesus por nós se entregou. Esta é a ceia da nova aliança. A aliança confirmada no sangue do Senhor. A Igreja se enfeita vasos e jarros de flores, canta-se o Hino de Louvor, o celebrante imitando o gesto de Jesus, tomou um jarro com água, bacia, toalha, inclinou-se e lavou os pés de 12 membros da comunidade, simbolizando os 12 apóstolos. Depois desse gesto, surpreendeu a todos, pedindo que essas pessoas fizessem o mesmo. Ou seja, elas escolheriam alguém da assembleia e lhes lavasse os pés. Foi uma experiência profunda, disse um dos apóstolos.

     Deus libertou seu povo e prescreveu que a libertação seja festejada solenemente; e na Eucaristia encontramos a libertação que desejamos e a vida de que precisamos. A Eucaristia vivida nos faz lavar os pés dos pobres e necessitados, dos tristes e abandonados, fazendo-nos servidores como Jesus.

     Não há prova de amor maior do que doar a vida pelo outro. Foi o que Cristo fez, entregou a sua vida para nos libertar da escravidão do pecado, foi crucificado pela salvação de todos. Amou-nos de tal forma, que, mesmo sabendo que seria traído e pregado numa cruz, desejou permanecer conosco. E por isso instituiu a Sagrada Eucaristia: “Tomai todos e comei. Isto é o meu corpo que será entregue por vós. Tomai todos e bebei. Este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para a remissão dos pecados. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM! Trecho da homilia do seminarista Marcio Nunes.

     Por isso, a Igreja celebra esse Memorial em toda as Santas Missas, e hoje, de maneira especial, nessa quinta-feira santa, quando se dá início o Tríduo Pascal. “Felizes todos aqueles que são convidados para o Banquete nupcial do Cordeiro de Deus, Aquele que tira todo o pecado do mundo”! A esse convite, os cristãos se encaminham para receber Jesus Cristo na Eucaristia.

 

TRANSLADAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

     O Santíssimo Sacramento é incensado. O altar mor da matriz é despido de toalha, jarros de flores e velas, a luminosidade da matriz foi reduzida, a Igreja está de luto. Formou-se a procissão. Sob o pálio, o Santíssimo é conduzido pelo celebrante Marcio Nunes até a capela preparada para a adoração dos fiéis.

     Chegando ao local da exposição – o altar da capela – o presidente depositou o cibório no tabernáculo, incensou novamente o Santíssimo, enquanto o coral entoou o suave canto: “Tão sublime Sacramento”. Terminado o canto, fecha-se o tabernáculo, e faz-se um instante de silencio. O seminarista e seus auxiliares se retiram e tem início a adoração dos fiéis.

      Assim como na maioria das paróquias, também em Cachoeira Alegre, a adoração se estendeu até a meia noite. O último grupo de pessoas presentes fez suas orações, encerrando a vigília e todos cantaram: “Ninguém te ama como Eu, olhe para Cruz, essa é a minha grande prova. Olha para Cruz, foi por ti, porque te amo...” e, os paroquianos se retiram em silêncio.

Fernando M. Ribeiro

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags