Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

CELEBREMOS OS LOUVORES À MARIA, A MÃE DE JESUS

May 3, 2018

         

 

Tiveram início em muitas paróquias, os festejos em honra a Nossa Senhora, a Mãe de Jesus. É lindo ver nos altares espalhados por esse país, as crianças homenagearem a Virgem Maria com esse afetuoso gesto de coroá-la.

       No último domingo, não houve missa em Cachoeira Alegre. O casal Palmério e Zélia, ministros extraordinários da Eucaristia e da Palavra, fizeram uma belíssima celebração na matriz São Sebastião. O celebrante foi muito feliz em sua homilia, quando fez uma análise das duas leituras e do Evangelho e, um breve comentário sobre sua chegada a Cachoeira Alegre e sua participação na Igreja.

        Ao celebrarmos nesse 2018, o Ano do Laicato, tenho rezado sempre, para que Deus suscite na sua Igreja – que também é nossa – mais leigos que se comprometam com o trabalho nas paróquias, para fazer crescer o Reino de Deus. Imagine só, se não houvesse essa abertura, que ocorreu a partir do Concílio Vaticano II e posteriormente com o trabalho primordial das CEBs, as Comunidades Eclesiais de Base, que inseriram o leigo nos trabalhos da Igreja, preparam-nos para o serviço do Altar, para atuarem nos mais diversos segmentos quando surgiram também as pastorais e outros movimentos como a RCC.

        Todos nós devemos nos colocar a serviço de Deus, da igreja e dos irmãos. Fazer-se servo. É essa a recomendação do Mestre aos seus apóstolos e também aos cristãos que desejam comunicar o Seu amor, que desejam atuar como operários da messe, cooperando com o plano de salvação que Deus tem para o seu povo.

Fernando M. Ribeiro   

                                                    MARIA NA LITURGIA

       “Com a cooperação de Maria, abriu-se um tempo novo para a humanidade. Tempo da graça do Senhor. A liturgia da Igreja procurando celebrar e atualizar a atuação salvífica de Deus em favor da sua criação de muitos modos, procura fazer memória da participação de Maria na realização do plano de salvação engendrado por Deus.

        Na esteira da renovação da vida litúrgica da comunidade eclesial, promovida pelo Concílio Vaticano II, cuja grande preocupação era promover uma participação ativa e consciente dos fiéis cristãos, ao culto prestado ao Pai, o Papa Paulo VI, no ano de 1969, publicou, após acurada revisão, o novo calendário com as celebrações marianas. Tais celebrações foram divididas em três categorias: solenidades, memórias e festas.

       

 

Nas solenidades a Igreja procura celebrar com o máximo grau litúrgico, as principais verdades dogmáticas que fazem referência à Maria. São quatro as solenidades: Maria Mãe de Deus, Anunciação do Senhor, Assunção de Maria e Imaculada Conceição.

       As festas são celebrações que recordam eventos salvíficos, em que Maria esteve intimamente ligada ao seu Filho como: Apresentação do Senhor, a Visitação de Maria e a Natividade de Maria. Já as memórias recordam um fato da salvação ou título dado à Mãe de Deus, e estas são classificadas em obrigatórias e facultativas.

        No primeiro grupo encontramos: Nossa Senhora Rainha, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora do Rosário e Apresentação de Nossa Senhora. No segundo grupo temos: Coração Imaculado de Maria, Nossa Senhora do Carmo, Dedicação da Basílica de Santa Maria Maior. São João Paulo II acrescentou duas festas: Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora de Guadalupe.

       Ao estabelecer tal calendário, a Igreja recuperou o caráter mistagógico das celebrações marianas. Maria é para toda a comunidade eclesial o modelo perfeito de como devemos nos colocar na presença do Senhor, para louvá-Lo e bendizê-Lo através do culto que a Ele prestamos. Ela é a virgem que sabe ouvir, orar, ser mãe e oferecer-se ao seu Senhor”.

OBS: o texto entre parênteses é de autoria do Pe. Rodrigo Arnoso

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags