Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

A FESTA. NÃO É À TOA QUE SOMOS UMA CACHOEIRA ALEGRE

January 21, 2019

CACHOEIRENSE, É DESPERTADO AO SOM DOS FOGOS E DA BANDA DE MÚSICA, NA ALVORADA

        Alguns músicos, remanescentes da Banda de Música, - Euterpe Santa Cecília – de Cachoeira Alegre se reuniram e nos brindaram com uma bela alvorada nesse sábado, 19 de janeiro de 2019.

       Eram cinco horas, quando se ouviram os primeiros fogos a anunciar que nossa Cachoeira, hoje, estava mais Alegre, estava em festa, com as comemorações do padroeiro São Sebastião. A Bandinha, logo surgiu, com um pequeno grupo de dedicados músicos, liderados pelo Sr. Sebastião Jaques, na Padre Messias Passos, passou pela Rua Mario Ribeiro, Manoel Fernandes Nogueira e toda extensão da Padre Raimundo Nonato de Carvalho a executar as marchas e dobrados que encanta os nostálgicos cachoeirenses e desperta as novas gerações para beleza da música que enternece os corações e enriquece a alma.

 

FOLIA DE SÃO SEBASTIÃO SE APRESENTA LINDAMENTE EM CACHOEIRA ALEGRE

      “ A marcha alegre se espalhou na avenida e sumiu, a lua triste que vivia escondida, surgiu e a cidade toda se enfeitou pra ver a Banda passar, tocando coisas de amor...” Assim dizia, assim cantava o mestre Chico Buarque em sua canção A Banda.

         Em Cachoeira Alegre, depois que a Banda passa, a cidade desperta e a festa tem sequência com uma extensa programação que se estende pelo dia todo. Tão logo a Banda passou, foi a vez da Folia de São Sebastião iniciar sua jornada, em visita às casas, cantavam com entusiasmo, saudando São Sebastião e, a queima de fogos foi ainda mais intensa. A Folia, com seus foliões vestido à caráter, seus instrumentos ornamentados de fitas e suas cantorias, cantou e encantou o cachoeirense ao longo de todo o dia. Quando a procissão passou com a secular imagem do glorioso mártir São Sebastião, muito respeitosamente, os foliões que estavam à Rua Mario Ribeiro, cessaram o seu canto, reverenciaram e aplaudiram nosso padroeiro num gesto de carinho e fé.

 

A PROCISSÃO LEVOU UM GRANDE NUMERO DE FIÉIS QUE FERVOROSAMENTE REZAVAM E CANTAVAM

         

       “A voz do anjo sussurrou no meu ouvido, eu não duvido, já escuto seus sinais, que tu virias numa manhã de domingo, eu te anuncio nos sinos das catedrais...” Assim se expressa em sua bela canção o poeta pernambucano, Alceu Valença em sua canção ‘Anunciação’.

        Não é que em Cachoeira vivemos esse lindo momento? Foi mais ou menos assim: O som do bronze se espalhava pelo ar, era o repicar dos sinos da matriz. A esse sinal, os fiéis saíram em procissão, conduzindo o andor com a imagem de nosso padroeiro, ornamentado de rosas vermelhas.

        À frente, na vanguarda, cavaleiros e amazonas abriam o cortejo, empunhando o Pavilhão Nacional, a Bandeira de Minas, do Município e de nossa amada Cachoeira Alegre. Cantando, rezando, louvando, os devotos percorreram as principais ruas da comunidade e chegaram à Praça Olavo Carlos dos Santos, onde a imagem foi recebida com os aplausos dos fiéis, que, aguardavam sua chegada.

 

PADRE JOÃO PEDRO CELEBRA MISSA CAMPAL

       Na praça, uma multidão estimada em 800 pessoas – os mais otimistas falam em mil fiéis – participaram entusiasticamente da solene celebração da santa Eucaristia. Muitos pontos a destacar, que foram preparados com muito zelo pela equipe de liturgia e que emocionou a muitos, ao longo da celebração. A começar pela presença marcante do Coral Sertanejo, que de forma brilhante enriqueceu esse momento com a presença da talentosa dupla sertaneja Valdeci e Adilei, Juliana Paixão e um radialista da Radio Atividade, muito admirado, que tem aqui, grande audiência.

         Um menino, montado em um cavalo, conduzindo a Bíblia, foi um momento inesquecível. No ofertório, a comunidade trouxe até ao altar os frutos da terra e do trabalho do homem, ao som da belíssima canção “O cio da terra”.

       No momento de ação de graças, todos se voltaram para a Alameda Joaquim de Assis, de onde desceu uma folia de reis, formada por membros da comunidade, que devidamente paramentados, com seus instrumentos, prestaram uma homenagem ao Mártir São Sebastião.

 

ALMOÇO BENEFICENTE NO JUPTER CLUBE

       Após a santa missa, uma fila gigantesca se formou nas dependências do Jupter Clube para adquirir seu ingresso e participar do Almoço de Confraternização.

       Brasília, Rio de Janeiro, São João de Meriti, Beofor Roxo, Niterói, Juiz de Fora, Muriaé, Patrocínio, Eugenópolis, Barão do Monte Alto, Silveira Carvalho, Vila Vardiero, Bom Jesus da Cachoeira, Laje do Muriaé e outras cidade da região se fizeram presentes para saborear das delícias da culinária cachoeirense, tomar um bom vinho, uma cerveja gelada e se descontrair numa animada conversa com os amigos.

 

O LEILÃO DE BEZERROS É SEMPRE UMA ATRAÇÃO

       Esse ano não foi diferente. Em torno do curral de gado, por volta das 13:30 horas, muita gente se postou para arrematar as prendas oferecidas pelos devotos.

       Na Praça da Matriz, a dupla Valdeci e Adilei tocava clássicos da música sertaneja e emocionava aqueles que de fato amam a nossa música que tem raízes profundas nos sertões desse Brasil, no interior das Gerais.

        No Varandão do Jupter, acontecia o Torneio de Damas e, os adeptos da cerveja, degustavam o “suco de cevada” e relembravam antigas histórias, se confraternizavam.

 

A FESTA NUNCA VAI ACABAR...

         Já ouviu essa frase alguma vez? Pois é, aqui em Cachoeira, parece que ela se aplica sempre que o nosso povo se junta para celebrar. Caiu a tarde, veio a noite e o povo não arredava o pé da Barraca. Não é à toa, que somos uma Cachoeira Alegre. Mas fiquemos por aqui, no ano que vem tem mais!

Fernando m. Ribeiro

      

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags