Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

DIA DO ADVOGADO: PROFISSIONAIS DEVEM PAUTAR SEU TRABALHO PELA PLENA JUSTIÇA

August 9, 2019

NO DIA 11 DE AGOSTO, COMEMORA-SE O DIA DO ADVOGADO

       O Dia do Advogado é comemorado anualmente em 11 de agosto. Esta data homenageia os profissionais responsáveis em representar os cidadãos perante a justiça.

        O Direito é a ciência das normas que regulam as relações entre os indivíduos na sociedade, e quando existe uma situação fora dessas normas, entra o trabalho do advogado, que é o de nortear e representar clientes em qualquer instância, juízo ou tribunal.

     

         No Brasil, para o profissional estar apto a exercer a função de advogado é preciso concluir o curso de ensino superior em Direito e passar no Exame da OAB - Ordem dos Advogados do Brasil.

Origem do Dia do Advogado

         O Dia do Advogado é celebrado em 11 de agosto em homenagem a criação dos dois primeiros cursos de Direito no Brasil: a Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo; e a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco. Ambos os cursos foram criados por D. Pedro I, em 1827.

       Há uma ideia geral cultivada pelo povo brasileiro, notadamente os mais pobres, de que qualquer criminoso, que tiver poder e recursos financeiros para pagar um bom advogado não vai para a cadeia, ou se vai, lá não fica.

       No dia 25 do mês passado, lembramo-nos com saudade de Tio Antônio. Sim, trata-se daquele senhor que foi assassinado brutalmente, cruelmente, covardemente em sua residência em Cachoeira Alegre. A perícia assinalou espancamento – quebraram-lhe braço e perna - seguido de morte, com a intenção de roubar. Tinha a vítima ido à Muriaé para se submeter a exames e, os seus algozes julgando que havia ido ao banco para receber sua aposentadoria de longos anos de trabalho árduo; investiram contra ele numa ferocidade brutal, para roubá-lo, espanca-lo e assassiná-lo.

       O fato é conhecido de nossos leitores, pois teve enorme repercussão. Falou-se à época de se instalar em Cachoeira Alegre uma sala, devidamente aparelhada para a Polícia dar plantões no distrito, com o objetivo de frear a onda de violência, ou pelo menos inibir a ação dos bandidos na Comunidade. Nada disso foi feito e os cidadãos de bem continuam a mercê dos bandidos.

       Um ano se passou e a dor ainda persiste, a ferida ainda aberta, sangra. A ausência de um ente querido, de um amigo e por demais sentida. E essa dor se dilata, cresce e se agiganta, quando se sabe que os autores da barbárie estão livres. Com alguns meses de detenção já estão em liberdade. Pelo menos é o que se comenta em Cachoeira Alegre. Não estou aqui a instigar violência, a reivindicar vingança. Não é isso. Desde o ocorrido, pedimos que não se semeasse o ódio e, que ao contrário, em oração se pedisse a Deus por eles, pois também eles são seus filhos.

       Contudo, desejava e acreditava que se cumprissem a pena integral, até mesmo para um período de ressocialização – embora, muitas vezes, o sistema prisional no Brasil não recupere os detentos – para se refletir sobre os males causados à sociedade, uma forma de puni-los.

        Por que estou a dizer isso, nesse dia? O que tem o advogado com isso? Vejo-o como um representante da justiça, da liberdade e da cidadania! Seu trabalho dedicado, seu empenho é indispensável para o exercício de uma democracia efetiva. Seu ofício deve ser exercido no sentido de garantir a igualdade e a plena justiça. Representar os direitos humanos e ajudar a garantir uma organização social também são característica da sua profissão.

       Tenho amigos advogados e entendo que enfrentaram noites em claro, fins de semana de estudo e muito trabalho… E que todos estes sacrifícios, certamente valeram a pena, pois se tornaram excelentes profissionais! Advogados que estão comprometidos com o seu dever e tem prazer em ajudar os cidadãos, devem pautar o seu trabalho pela PLENA JUSTIÇA. É isso que eu penso! Dizem que é o Código Penal Brasileiro está ultrapassado, que precisa ser mudado e, que a Lei, quase sempre, protege o bandido, o vilão e não a vítima

  Fernando M. Ribeiro 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags