Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle

December 3, 2019

Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

NATIVIDADE DE NOSSA SENHORA

        Eu estava ao lado da piscina de Betesda, em Jerusalém, mencionada pelo evangelista João, capítulo 5 de seu Evangelho, quando relata a cura milagrosa de um paralítico, efetuada por Jesus. A existência desta piscina foi contestada pelos arqueólogos e historiadores até o ano de 1888, quando foi redescoberta por causa de escavações feitas para a restauração da Basílica de Santa Ana. E esta era a razão pela qual eu estava ali: A Basílica de Santa Ana. Naquela época havia apenas casas perto da piscina.

        E uma dessas casas era de São Joaquim e Santa Ana, os pais de Nossa Senhora. A casa era simples, mas não inferior às casas daquela região de Jerusalém. Caminhei até à casa e parei diante dela. Ali, emocionado pensei: Aqui aconteceu um fato importantíssimo para a humanidade... Aqui nasceu a Virgem Maria, aquela que traria para nós, o Salvador”.

        Contemplando aquela casa simples, pensei no maravilhoso plano de Deus para a humanidade... “O Pai não só quis que Jesus nascesse de uma família, como preparou uma para a sua chegada. Uma família simples, comum, que também passou por dificuldades”.

       Neste momento, o dono da casa veio ao meu encontro. Ele já esperava por mim. Tinha 50 anos e seu nome era David. Era sobrinho neto de São Joaquim e primo segundo de Maria. Por razões de herança a casa passou para ele. David e sua família tinham se tornado cristãos e, vez por outra recebiam fiéis que queriam conhecer a casa onde nasceu a Mãe de Jesus.

       Assim, ele me recebeu calorosamente, como um fiel. E graças a Deus, eu era mesmo. Entramos. Ali, a sensação de paz e da presença de Deus eram grandes. David mostrou todos os cômodos e começamos a conversar. A seguir, veja um trecho de nossa conversa.

 

Repórter NT: Ouvi dizer que Joaquim e Ana só conseguiram gerar Maria quando estavam na velhice. Isso é verdade?

 

David: Sim. Eu era criança e me lembro bem. Era um grande sofrimento para todos. Muitos pensavam que Ana era uma pecadora, castigada por Deus. Por isso, não conseguia ter filhos. Mas me lembro também que meu tio Joaquim não aceitava que falassem isso sobre ela. Ele dizia: “Eu conheço Ana e sei que ela é uma mulher virtuosa. Isso não é castigo de Deus”. Ana, por sua vez, sofria a humilhação de não conseguir ser mãe. Era marginalizada por causa disso.

 

Repórter NT: E como eles lidavam com a esterilidade?

 

David: Meu tio Joaquim era um homem santo. Minha tia também. Eles buscavam a Deus na oração, ofereciam sacrifícios e praticavam a caridade para com os pobres. Eles pediam filhos a Deus, todos os dias, até quando veio a notícia da gravidez. Mas tio Joaquim sempre dizia: “Nós pedimos, mas Deus é quem sabe de tudo. Nós não sabemos de nada. Nossa vida está nas mãos d’Ele. Ele sabe o que é melhor para nós”.

 

Repórter NT: E como ela se tornou mãe?

 

Davi: Um dia, tio Joaquim foi advertido por um sacerdote chamado Rúben, pelo fato de não ter filhos. Nesse tempo, ele e tia Ana já estavam em idade avançada, ou seja, não poderiam mais gerar filhos. Mas a palavra do sacerdote foi tão forte que Tio Joaquim decidiu retirar-se no deserto para rezar e fazer penitência, pedindo a Deus que retirasse essa humilhação de sua vida e de sua esposa. Então um anjo apareceu a ele e disse que o Senhor tinha ouvido seu clamor. Ele voltou do deserto transformado. Depois de algum tempo, tia Ana engravidou. Lembro-me perfeitamente, da alegria e da gratidão a Deus que eles tinham.

 

Repórter NT: Como você se sente morando aqui?

 

David: (David se emocionou e continuou) Por uma graça de Deus, herdei essa casa. É maravilhoso saber que a Mãe de Jesus nasceu aqui... Aqui ela aprendeu a andar... Passou sua infância entre os cômodos... Este local faz parte da história da salvação. Peço a Deus que esta casa seja preservada.

 

Nota: De certa forma a casa foi mais que preservada, pois, no seu local, em Jerusalém, foi construída a Basílica de Santa Ana. E, pela mais feliz das coincidências, segundo o calendário do século 21, era o dia 8 de setembro, Dia da Natividade de nossa Senhora.

Vicente Abreu – Revista Brasil Cristão

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags