Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

FLAMENGO BICAMPEÃO DA LIBERTADORES

       A decisão – cujo início foi antes da bola rolar, com o favoritismo sendo dado ao Flamengo, por parte dos argentinos – começou com a atmosfera tensa no Monumental. Passados alguns minutos o River Plate pôs em prática seu jogo, diferentemente do clube da Gávea. Não por nervosismo, mas por ter sido marcado e atacado como não costuma ser pelos rivais nacionais.

       O respeito mostrado pelo River antes da final significou uma marcação intensa, dificultando a saída de bola, com Arão e Gerson, sempre pressionados. A bola mal chegou a Everton Ribeiro e Arrascaeta, os condutores da equipe e o Flamengo foi para o intervalo sem ameaçar a meta de Armani.

       Mais do que isso, o time sofreu atrás. Foi em um dos avanços laterais que Nacho Fernandéz cruzou para a área e, na indecisão da defesa, Borré, finalizou rasteiro, vencendo Diego Alves: 1 a 0. O time do técnico Marcelo Gallardo, especialmente com Dela Cruz, foi ao ataque outras vezes, mas não criou chances claras de gol.

       A melhora rubro-negra nos minutos iniciais, passou pelos pés de Gerson, que, por duas vezes, conseguiu superar a linha do River. Na primeira, Gabigol não concluiu a jogada. Depois Bruno Henrique invadiu a área e, em vez de chutar, tocou pra trás. As finalizações do camisa 9 e Everton Ribeiro pararam na defesa argentina. Contudo, Gerson deixou o jogo com dores. A partir disso, foram cerca de 25 minutos de domínio do River Plate, mas sem ameaçar o gol de Diego Alves.

      A derrota parecia inevitável, mas bastou poucos minutos para o Flamengo virar a partida. Aos 43, Arrascaeta recebeu na área. O cruzamento do uruguaio acabou nos pés do Gabigol, que igualou, dando nova vida ao sonho do bicampeonato.

        O Flamengo foi Flamengo. Três minutos depois, Gabigol emendou e virou a partida. O que aconteceu em campo até o apito final, pouco importa. A parte rubro-negra entrou em êxtase e a América, com méritos, é novamente do time da Gávea!

Matheus Dantas matheusdantas@lancenet.com.br

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags