Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle

January 22, 2020

Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

DOMINGO: MISSA NA MATRIZ; DIA DO SENHOR; DIA DE FESTA; TERCEIRO DIA DA NOVENA

January 13, 2020

       Na parte da tarde desse domingo, sol a pino, muita gente à procura de sombra e água fresca – ou seria cerveja gelada? – piscinas, cachoeiras, banhos de rio, ou mesmo uma boa ducha para se refrescar do forte calor, quando os termômetros registraram 42 graus em Cachoeira Alegre. À noite, por volta das 19:30 horas, o clima ainda era quente, mesmo com os ventiladores ligados, o calor ainda fazia as pessoas se abanarem em seus bancos na Igreja-matriz.

        Nada disso, porém, foi obstáculo para que os fiéis desistissem de subir as escadarias da Alameda Joaquim de Assis para celebrar com o nosso pároco João Pedro de Mello a Sagrada Eucaristia, nesse terceiro dia da novena, cujo tema, MISSIONÁRIO EM PARTILHA FRATERNA, foi dado ênfase pelo celebrante.

       A Antífona desse Dia do Batismo do Senhor é: “Batizado o Senhor, os céus se abriram, e o Espírito Santo pairou sobre ele sob forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu Filho muito amado, nele está todo o meu amor”. De fato, o Batismo do Jesus, nos faz mergulhar no mistério da redenção, pois Ele despojou-se de si mesmo, abaixou-se ao se fazer batizar por João Batista e ao lavar os pés dos discípulos aquele dia.

        Jesus quer nos tocar de perto, quer tocar nosso coração. Por isso, convida-nos a fazer o novo êxodo para sermos de fato, o novo povo de Deus; escutando a voz do Pai. Escutem meu Filho amado! Agora é a hora de vivermos o nosso sacerdócio batismal, assumindo com Jesus nossa missão de cristãos.

       No ritual da Santa Missa de hoje, a liturgia sugeria que o presidente da celebração deveria aspergir o povo com água benta. O celebrante não o fez; porém, o próprio Deus, aspergiu toda a nossa Cachoeira Alegre com uma abençoada chuva; mudando o intenso calor, para um clima ameno, bastante agradável, trazendo refrigério ao nosso corpo físico, já que ao Espírito, esse oásis viria através da Palavra proclamada, da homilia e do encontro pessoal de cada um na sagrada Eucaristia.

        Padre João, fez uma extensa pregação destacando o exemplo de Jesus, ao ser batizado por João Batista. Disse da importância do sacramento do batismo na vida do cristão. Que não deve ser um ato social, mas uma atitude de adesão, de pertença, de comprometimento com Cristo e sua Igreja. Falou também de forma ostensiva dos irmãos que abandonam a fé católica e fazem um segundo batismo nas múltiplas igrejas de várias denominações por onde passam e muitos se dispersam.

       Falou ainda que a Igreja Católica Apostólica Romana é a única e verdadeira religião criada por Jesus Cristo, desenvolvida por seus discípulos, outros seguidores que cumprindo sua recomendação; “Ide e pregai o Evangelho a toda criatura...” saíram de seu comodismo, de sua zona de conforto e talvez até mesmo de um estado de letargia, para anunciar o seu Reino.

         “Por que sou católico”? É um livro muito interessante, fruto de muitos anos de pesquisas, fundamentado antigos em antigos manuscritos, em depoimentos de grandes teólogos e filósofos conceituados, que muito contribuíram para o avivamento de nossa fé cristã. Um livro que deveria ser lido por todo cristão. Independente da fé que professa, penso eu! Um livro denso, de conteúdo riquíssimo, que expõe com clareza, apresentando na maioria das vezes documentos inquestionáveis acerca de cada tema abordado nos seus muitos capítulos.

        Apesar de esclarecedora, a reflexão de nosso pároco não conseguiu agregar valores no que diz respeito à intensa busca da Igreja pela Unidade dos Cristãos. Não estou dizendo que discordo de sua pregação. Por favor, não entenda dessa forma! Penso que se procuramos uma reconciliação entre os cristãos, não é para sermos mais fortes. Nem sequer para fecharmos em nós mesmos. Mas para que seja um sinal de Evangelho, é esse meu ponto de vista.

       Para melhor esclarecer alguns pontos, vou trazer de volta, na coluna “Vale a pena ler de novo”, um artigo publicado nesse periódico em 2017, cujo título é: IGREJA VIVA – UNIDADE DOS CRISTÃOS. (Veja nessa edição)

        Depois da Bênção final, a confraternização no Pátio da Matriz, com o leilão de prendas e o Bingo. São Sebastião, Que foi cruelmente humilhado e açoitado, Vós que sois o defensor poderoso contra a fome e as epidemias; o querubim abrasado de zelo pela glória de Deus; Rogai por nós!

Fernando M. Ribeiro

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags