Editor: Fernando Mauro Ribeiro - portalnovotempo.com - © 2017 PORTAL NOVO TEMPO CACHOEIRA ALEGRE/MG.

  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
Please reload

Posts Recentes

       Quando a Palavra toca o coração das pessoas, elas compreendem melhor o amor de Deus por elas. Quando tomados pela misericórdia divina...

CELEBRAMOS NESSE DIA 04, OS 24 ANOS DE IDEALIZAÇÃO DA FUNDAÇÃO

September 4, 2019

1/1
Please reload

Posts Em Destaque

VOLTA ÀS AULAS: TAMBÉM EM CACHOEIRA, A TURMA DE AZUL E BRANCO ESTÁ DE VOLTA

COMO LIDAR COM O BULLYNG E ORIENTAR AS CRIANÇAS

     “Educa a criança no caminho em que deve andar”. Quando digo “a turma de azul e branco” me refiro aos estudantes de todo o país, e principalmente os de Cachoeira Alegre, com os quais me encontro na minha caminhada, pelas ruas da comunidade, todos, a caminho da Escola. Nesse retorno, é bom que estejamos atentos ao comportamento de nossos filhos. Vamos esclarecer sobre uma forma de lidar com o bullyng e orientar as crianças para que não sejam nem vítimas e nem autoras desse mal. A palavra bullyng é cada vez mais ouvida. Embora a discussão tenha se fortalecido no Brasil nos últimos anos, é preciso que a família esteja constantemente atenta e oriente as crianças e adolescentes para não serem quem pratica, além de ensiná-los como lidar caso sejam vítimas.

     É verdade que não é possível isolar completamente os filhos do mundo lá fora, mas isto não isenta os pais da responsabilidade de desenvolvê-los e guiá-los. O termo tem origem na palavra inglesa bully, que significa “valentão”, “brigão”, ou aquele que usa a força física para intimidar outras pessoas. Isso não é brincadeira. A atitude tem consequências reais para crianças e que podem perdurar até a vida adulta. Afinal, como está em Provérbios (22, 6): “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando se envelhecer não se desviará dele”.

     Como escreveu o Padre Reginaldo Manzotti: a vida espiritual das crianças é igualmente influenciada por instituições e exemplos recebidos. Então, quanto mais elas puderem acompanhar os pais, vivenciando a Palavra de Deus, maior será a tendência de seguirem o mesmo caminho”.

     De acordo com o relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) publicado em setembro de 2018, um em cada três alunos é vítima de intimidação ou bullyng nas escolas. No período de volta às aulas, as conversas com as crianças devem ser redobradas, para que tenhamos realmente um novo ano de promoção da paz e do amor em todos os ambientes. Neste contexto, alguns pontos são importantes para entender e prevenir situações, de acordo com a psicopedagoga Cristiane Bredow.

 

O QUE É BULLYNG E QUANDO NÃO É BULLYNG:

     O bullyng acontece quando a ação realmente abala o emocional de quem recebe. A mesma atitude direcionada a duas pessoas, provoca reações diferentes. Para uma pode se configurar como bullyng e, para a outra pode ser algo sem importância.

 

QUANDO OS PAIS SÃO CHAMADOS À ESCOLA, PRECISAM IR

Como saber se seu filho está sendo agressor ou vítima. Para os dois casos será preciso tomar atitudes. É importante lembrar que orientar os filhos a revidar, bater de volta ou xingar no mesmo tom não é o melhor caminho. É preciso se colocar ao lado deles, mostrar que os apoia e que podem contar com a família e com a escola.

 

PRESTE ATENÇÃO ÀS RECLAMAÇÕES:

     Muitas vezes os filhos estão reclamando e não têm atenção. Com isso, eles começam a, quando vítimas, deixarem de reclamar por se sentirem intimidados e não ouvidos. Deve-se também prestar atenção às mudanças de comportamento, como perda de apetite,alteração no rendimento escolar e etc.

 

ESTIMULE A EMPATIA DESDE CEDO:

Busque sempre ensiná-los a se colocar no lugar da outra criança. Sugerindo sempre o “e se fosse você no lugar do colega, como se sentiria”. Apesar de as crianças terem discernimento limitado, elas têm capacidade de entender esse sentimento.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags